• 15 de agosto de 2022
  • 17 minutos

Está planejando aposentadoria? Tire todas as suas dúvidas do tema

Tire todas as suas dúvidas sobre a aposentadoria.

Para muitas pessoas, pensar no nosso futuro é algo que só vamos fazer quando ele bater à nossa porta. Quando se é jovem, gostamos de deixar essa conversa para depois.

De cada 10 brasileiros, somente 4 se preparam para a aposentadoria. É o que diz uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

No entanto, se nosso desejo é ter um futuro tranquilo e ao mesmo tempo de qualidade, devemos começar planejando aposentadoria.

Planejar a aposentadoria nada mais é do que pensar em como vamos nos manter financeiramente depois que pararmos de trabalhar. 

E para manter o padrão de vida que temos devido ao salário, é preciso garantir que o valor dela esteja compatível, ou seja, somente planejando aposentadoria isso será possível.

Se você está pensando em como fazer um planejamento de aposentadoria, a gente preparou um guia focado nesse tema. 

Aqui vamos te explicar não só o porquê você deve se preocupar com a sua, mas como, quando e por onde começar esses planos. Para entender mais sobre o tema, continue acompanhando nosso conteúdo!

Somos Ailos: a economia colaborativa com essência de quem faz diferente. O futuro que você tanto quer começa aqui!

Por que planejar a aposentadoria? 

A primeira dúvida que precisamos esclarecer para quem está pensando em fazer um planejamento financeiro para esse fim é entender o porquê de fazer isso. Por que devemos planejar a aposentadoria?

Em primeiro lugar, é importante esclarecer que aposentadoria é justamente o benefício de usufruir do dinheiro que você ganhou trabalhando durante boa parte da sua vida. 

Quando você faz um planejamento para aposentadoria, você vai garantir a melhor aposentadoria possível dentro daquilo que é financeiramente viável para você.

Em segundo lugar, é importante considerar que a expectativa de vida do brasileiro tem crescido, isto é, a chance de você viver por mais tempo também é maior. 

Em 1940, de acordo com o IBGE, a expectativa de vida para homens era de cerca de 42, enquanto a das mulheres era de 48, o que deixava uma média de 45 anos.

Em 2020, as idades para os homens era de 72 e para as mulheres 80. Isso nos dá, em média, 76 anos de vida.

E se o tempo médio de vida aumentou - cerca de 30 anos -, é provável que você trabalhe por mais tempo, porém, também tenha bastante tempo para descansar com sua aposentadoria. Por isso, mais uma vez, planejá-la é essencial.

Tipos de aposentadorias

Um ponto importante quando estamos planejando aposentadoria está nos tipos que existem. Antes de qualquer coisa, é essencial conhecê-los. Você pode se aposentar tanto de forma pública como de forma privada. A seguir, entenda cada uma delas.

Pública 

O primeiro tipo de aposentadoria que vamos falar é a pública. De acordo com a Secretaria da Previdência Social, o Brasil tem  mais de 19 milhões de aposentados pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Isso significa dizer que, após determinado período de contribuição, todas essas pessoas se aposentaram pelo benefício concedido pelo governo brasileiro. Nesse formato, há três partes que custeiam esse processo:

  • Empregadores, ou seja, empresas públicas e privadas;
  • Trabalhadores, isto é, empregados do setor privado ou público;
  • Governo Federal, através do recolhimento de impostos.

A previdência social ainda se divide em dois regimes, sendo eles o Regime Geral de Previdência Social (RGPS) e os Regimes Próprios de Previdência Social (RPPS).

Enquanto o primeiro envolve celetistas, empregados domésticos e contribuintes individuais, por exemplo, o segundo regime envolve os servidores públicos das mais diversas esferas.

Ao contribuir para o INSS, o trabalhador está planejando sua aposentadoria e passa a ter uma série de direitos concedidos pela Previdência Social além dela, como é o caso do  auxílio-doença e da pensão por morte. 

Um ponto importante aqui é que o valor da aposentadoria sempre pode alternar entre o salário mínimo e o teto do INSS, que é divulgado todos os anos. Em 2022, por exemplo, o valor máximo era de R$ 7.087,22.

Privada 

Do outro lado, está o tipo de aposentadoria privada. Quando estamos planejando aposentadoria, no geral, estamos nos referindo a ela. 

O sistema de aposentadoria privada funciona como uma espécie de previdência complementar. Diferente da pública, ela não é obrigatória. No entanto, ela serve como uma forma de investir no futuro que o mercado financeiro oferece a todas as pessoas.

Em uma aposentadoria privada, os interessados também fazem contribuições periódicas. No entanto, o valor da aposentadoria vai ser proporcional à quantia que foi acumulada de patrimônio durante esse período.

Tipos de planos privados 

Um ponto importante para destacar aqui é que a previdência privada se divide ainda em diferentes planos: os abertos e os fechados, os quais também são chamados de fundos de pensão. 

Os planos abertos de aposentadoria são oferecidos por instituições financeiras, como é o caso de cooperativas de crédito, além de seguradoras ou corretoras de valores. Esses são mais diversos e possuem um público alvo maior. 

Nesse formato, o futuro aposentado vai escolher de qual forma ele quer aportar seu dinheiro. Além disso, os planos abertos são regulamentados pela Superintendência de Seguros Privados (Susep). 

Os planos abertos ainda podem se dividir em Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL). A distinção diz respeito à forma de tributação do Imposto de Renda (IR).

Já no tipo fechado, que é bem mais específico, as empresas oferecem um plano a seus colaboradores ou então associações oferecem aos seus profissionais. Eles são regulados pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc). 

Qual a importância de ter uma aposentadoria privada? 

Como você já sabe agora, a aposentadoria privada funciona como uma alternativa complementar à pública. No entanto, ela é extremamente importante, principalmente considerando que a longevidade, como falamos, é uma realidade para os brasileiros.

Quando estamos planejando aposentadoria, a primeira pergunta que devemos fazer é: quanto queremos receber mensalmente? Muitas vezes, o valor da aposentadoria pública vai ficar abaixo disso, principalmente se seu salário passar do teto.

Imagine passar a vida inteira recebendo R$12.000 e, quando finalmente pode descansar, ganha uma quantia de R$7.000. Fica difícil manter o padrão, não é mesmo?

Um dado interessante sobre a aposentadoria no Brasil que corrobora com isso é o do  Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Mais de 33% das pessoas que estão aposentadas e com mais de 60 anos ainda trabalham. Se limitamos ao grupo de 60 e 70 anos, esse número sobe para 42,3%. E qual é o motivo? Complementar a renda.

Para quase metade dos entrevistados,a aposentadoria pública não é suficiente para pagar as contas e despesas pessoais que eles têm nessa faixa etária. Nessa idade, os gastos com remédios e planos de saúde, por exemplo, são maiores.

Considerando tudo isso, recorrer à aposentadoria privada é fundamental para quem recebe valores acima do teto do INSS.

 Por isso, quando estamos planejando aposentadoria, precisamos garantir que não vamos perder qualidade de vida que o nosso trabalho oferece nos dias de hoje..

Ao fazer um planejamento financeiro para aposentadoria, o investidor pode sempre escolher o melhor valor para o seu bolso e, claro, qual será a periodicidade com que a contribuição será feita.

Quem deve fazer um planejamento de aposentadoria?

Uma outra pergunta que você pode fazer quando está planejando aposentadoria ou pensando em planejar é: quem deve fazer esse planejamento? 

A verdade é que toda e qualquer pessoa deve ter um. Seja uma aposentadoria pública ou privada, é preciso correr atrás disso.

No entanto, as pessoas que não contribuem para o INSS, principalmente, são as que mais devem saber como fazer um planejamento de aposentadoria privada. Algumas das pessoas que entram nesse grupo, são, portanto:

  • Pessoas com trabalhos informais, o que faz com que não acontece o recolhimento previdenciário devido;
  • Pessoas que recebem constantemente valores por fora da remuneração normal, o que pode repercutir em uma aposentadoria pública incompatível;
  • Pessoas que, por um considerável tempo, não puderam contribuir pois estavam desempregadas ou recebendo bolsas de ensino e pesquisa.

Além dessas pessoas, aquelas que querem receber valores mais altos que o do INSS, também precisam se preocupar em complementar a sua renda.

Essas e outras pessoas são excelentes exemplos de quem deve se preocupar com um planejamento financeiro para aposentadoria principalmente no setor privado, considerando que o público não vai dar conta do valor que ela deseja receber.

Planejando aposentadoria: quando começar? 

O melhor momento para começar a planejar sua aposentadoria é quando você passar a ter uma renda para fazer alguma contribuição. Quanto antes você conseguir começar, maior será o seu capital.

Se você começar a contribuir cedo, você também vai pagar menos mensalmente. O ideal é contribuir entre 20 e 30 anos. Dessa forma, o valor de contribuição para cada mês não será tão alto, o que torna mais fácil esse planejamento entrar no orçamento. 

No entanto, se você não começou ainda, e já está mais velho, nunca é tarde para começar.

Quanto juntar por mês para aposentadoria?

Não existe um valor fixo de contribuição mensal. Tudo depende de quanto você deseja ter no futuro. Além disso, a resposta vai variar de acordo com o tempo que você precisa contribuir para chegar na renda desejada. 

Então, como calcular quanto poupar para aposentadoria? Um valor mínimo que você pode começar investindo - nesse caso, poupando - é, pelo menos, 10% da sua renda mensal, caso tenha de 20 a 30 anos.

Se você não tiver muito tempo até a idade que deseja se aposentar, contudo, esses valores iniciais precisam ser maiores, pois você terá um menor tempo de contribuição.

Planejando aposentadoria: por onde começar? 

Já falamos sobre quem pode planejar e quando planejar, no entanto, precisamos falar sobre o tópico mais importante: por onde começar a planejar a aposentadoria? A seguir, vamos falar sobre os principais passos para isso.

1. Definindo objetivos e metas

O primeiro passo para saber como planejar a aposentadoria é definir quais são seus objetivos e metas a longo prazo. Estamos falando aqui de 20, 30 ou até mais tempo de vida.

Apesar do seu principal propósito aqui ser se aposentar, seu objetivo não se resume apenas  a isso. Aqui você precisa se perguntar: o que eu pretendo alcançar quando me aposentar? Qual é o padrão de vida que eu quero ter? E com quantos anos eu quero me aposentar? 

A aposendatoria pode ser o momento de desfrutar de atividades prazerosas que você encontrou ao longo da vida profissional. Tudo vai depender de você e do que você quer para essa fase da sua vida.

Viajar pelo mundo ou comprar uma casa no campo para desfrutar da terceira idade, por exemplo, podem ser sonhos específicos que você precisa considerar no seu orçamento para essa etapa.

Quando você define todos os seus objetivos passa esse período da sua vida, será então o momento de colocar um prazo para realizá-los. Ao fazer isso, então, fica mais fácil seguir os próximos passos.

2. Organizando a vida financeira

A essa altura do texto você já deve ter entendido que qualquer objetivo escolhido vai exigir de você um planejamento financeiro. E para conseguir nos planejar, antes de qualquer coisa, é preciso organizar nossa vida financeira.

Se você já tem seus sonhos definidos, você precisa também ter total noção de qual será o patrimônio necessário para poder realizar todas as suas metas traçadas.

Para isso, você deve, antes de qualquer coisa, conhecer a sua realidade financeira. O quanto de renda você tem por mês? Liste todos os seus custos fixos e essenciais, bem como os prováveis gastos variáveis.

Ao entender quais são suas principais fontes de receita e de gastos, você pode também aproveitar para perceber quais são as oportunidades de melhoria. 

Para chegar aonde você quer chegar, pode ser que você precise procurar um outro tipo de renda extra, pedir aumento ou até mesmo mudar de emprego. Você só vai saber se sua vida financeira comporta o seu sonho ao colocar no papel.

3. Controlando suas finanças 

O terceiro ponto aqui é, além de organizar a vida financeira, aprender a controlar suas finanças. Nesse momento, seu grande aliado será a educação financeira. Quem quer poupar para aposentadoria, jamais pode gastar mais do que recebe, por exemplo.

Se você quer manter o seu padrão de vida atual, pode ser preciso fazer investimentos maiores na sua aposentadoria. Ou seja, para que você consiga realizar seus objetivos e metas, terá que reduzir certos custos para aplicar um maior valor na aposentadoria.

Em muitos casos, você vai precisar de um esforço financeiro maior para chegar onde quer, principalmente se não tiver como ampliar sua renda naquele momento. 

Além disso, é nesse momento em que você precisa também tirar seu nome do vermelho, caso esteja, e acabar com todas as dívidas. Fica difícil contribuir para a previdência se você ainda tem pendências para pagar, principalmente porque elas envolvem juros.

Por último, controlar as finanças também diz respeito a ter uma reserva de emergência para momentos em que um imprevisto acontecer. Dessa forma, você vai poder cobrir o rombo e não vai precisar parar de contribuir para a aposentadoria. 

4. Compreendendo seu perfil

Antes de começar a investir, saber como fazer um planejamento de aposentadoria também envolve entender qual é o seu perfil de investidor. 

Há quem esteja disposto a arriscar mais para receber maiores retornos no futuro, assim como há pessoas que gostam de investimentos mais certos. 

Da mesma forma que funciona na compra de um carro, no qual para cada tipo de pessoa há uma opção ideal, os investimentos também tem um público específico para cada aplicação.. 

A seguir, vamos falar sobre os 3 perfis que existem.

Conservador

Pessoas conservadoras nos investimentos são aquelas que estão bem mais preocupadas em segurança do que retorno financeiro. Nesse caso, elas vão optar por opções que oferecem um risco bem baixo.

O principal foco aqui é preservar o patrimônio. Por essa razão, investidores desse perfil vão procurar aportar seu dinheiro em aplicações com menos volatilidade e mais previsibilidade,mesmo que isso reduza o potencial de rendimentos.  

Moderado

O segundo tipo de investidor que existe é aquele que preza pelo equilíbrio. O perfil moderado está tanto preocupado com segurança como em retorno financeiro. Por isso, tem uma tolerância ao risco um pouco maior que o conservador.

Pessoas moderadas no mercado financeiro conseguem aceitar um maior nível de volatilidade ou uma liquidez menor de suas aplicações. No entanto, a maior parte dos seus investimentos ainda estão em produtos altamente seguros.

Arrojado

O último perfil de investidor é o arrojado. Pessoas neste espectro são as mais tolerantes a riscos. Muitas vezes por ter maior maturidade no mercado, ele está mais aberto para investir em produtos como ações na Bolsa de Valores.

Pessoas arrojadas entendem que a exposição ao risco costuma ser compensada com melhores ganhos no final. Em suma: para eles, vale a pena arriscar. Através de sua visão estratégica, elas aproveitam as pequenas oscilações para conseguir lucrar. 

No entanto, quando estamos planejando aposentadoria, esse é o tipo de investimento menos adequado, pois é um dinheiro que precisa de segurança.

6. Fazendo o investimento certo

Aqui chegamos ao ponto final de para quem quer saber como planejar a aposentadoria. Escolher o plano de previdência privada e como você vai aportar seus recursos é a última e mais importante etapa desse processo.

Se você está planejando aposentadoria, aplicar seu dinheiro com inteligência é fundamental para conseguir alcançar seus objetivos e metas traçados. E quanto mais alto for o seu padrão de vida, mais você precisará investir para conseguir mantê-lo.

No entanto, se você não possui uma vasta experiência em administrar seu dinheiro, o mais recomendado aqui é recorrer a planos de previdência que te ajudem nesse aporte.

Em um plano de previdência, você irá contribuir de forma mensal para um fundo administrado por uma instituição financeira, a exemplo de uma cooperativa de crédito.

Assim, a partir dos seus critérios, você vai escolher a melhor opção de investimento que se adeque às suas necessidades futuras. Além disso, você também pode fazer investimentos a longo prazo em aplicações como Tesouro Direto.

Conheça o Plano de Previdência da Ailos

Como te falamos, investir em um plano de previdência pode ser uma das melhores opções se você quer ter uma boa renda quando se aposentar. 

E para te ajudar, vamos te mostrar o nosso plano de previdência da Ailos, uma cooperativa de crédito referência no Sul do País. Nosso principal objetivo é oferecer mais segurança financeira e uma aposentadoria tranquila!

Proteção Imediata

Um dos nossos principais benefícios é oferecer proteção imediata. Em casos de invalidez total ou de morte, você e sua família poderão usufruir dos valores da sua aposentadoria rapidamente.

Rentabilidade 

Outro ponto positivo é a rentabilidade do nosso plano de aposentadoria. Oferecemos diversas opções diferenciadas em relação à média do mercado.

Planejamento sucessório 

Também nos preocupamos com o planejamento sucessório. Por isso, para que o valor não seja objeto do inventário, em caso de morte, todos os benefícios são definidos no seu plano.

Flexibilidade 

Um bom plano de aposentadoria precisa ser flexível. Nossas opções são. Você pode realizar aportes adicionais quando e se quiser, inclusive mesmo depois de se aposentar.

Planejamento de longo prazo 

Investir em uma aposentadoria é um planejamento de longo prazo. O bom disso é que isso vai te incentivar a ter mais educação financeira e, ainda,, uma reserva para o futuro.

Contribuições acessíveis 

Os planos de aposentadoria da Ailos são para todas as pessoas. Oferecemos contribuições acessíveis, com planos que cabem nos mais diversos bolsos.

Menor taxas em relação ao mercado 

Para fechar, claro, não podia faltar um dos grandes benefícios de uma cooperativa de crédito: nós oferecemos menores taxas em relação ao mercado. A gente não cobra taxa de carregamento e, ainda, temos uma taxa de administração de 0,25% ao ano.

Somos Ailos: a economia colaborativa com essência de quem faz diferente. O futuro que você tanto quer começa aqui!

Planejando aposentadoria: perguntas frequentes 

Depois de esclarecer diversas dúvidas para quem está planejando aposentadoria ou pensando em planejá-la, trouxemos algumas outras perguntas frequentes para responder. Dá uma olhada!

Quais os diferenciais do plano de previdência de uma cooperativa?

Os principais diferenciais do plano de previdência de uma cooperativa são a maior segurança e flexibilidade, além de uma rentabilidade maior com taxas menores, juntamente com o planejamento sucessório.

Com quantos anos pode se aposentar com a aposentadoria privada? 

A idade que você pode se aposentar com a aposentadoria privada vai depender do quanto você quer receber mensalmente e o tempo de contribuição. Quanto mais cedo você começar, mais cedo você chegará no valor desejado e, então, poderá se aposentar.

Como escolher uma previdência privada?

Para escolher uma previdência privada aberta, você deve considerar aspectos como, por exemplo:

  • Objetivos a longo prazo;
  • Opções como PGBL e VGBL;
  • Tipos de regime de tributação;
  • Taxas de carregamento e de administração;
  • Seu perfil de investidor.

Conclusão

Pensar no futuro não pode ser deixado para depois. Por isso, quem está planejando aposentadoria ou está pensando em começar precisa levar em conta diversos aspectos, 

Quando estamos planejando a nossa aposentadoria, a primeira pergunta que devemos fazer é: quanto queremos ganhar mensalmente? No entanto, não só isso importa. O que vamos fazer para começar também é essencial.

Por isso, definir objetivos, organizar a vida financeira, controlar gastos, conhecer o perfil de investidor e escolher a melhor forma de investimento são essenciais. 

E agora você já sabe:uma das melhores opções são os planos de previdência oferecidos por cooperativas de crédito!

Receba nossa newsletter

Inscreva-se

O Internet Explorer está sendo descontinuado.
Por favor, use outro navegador para acessar o blog. Veja alguns navegadores que você pode utilizar: