• 20 de janeiro de 2023
  • 15 minutos

Cheque: entenda para que serve, vantagens e como se mantém popular

15 minutos

Os nascidos no final dos anos 90 provavelmente nunca usaram um cheque como forma de pagamento — ou mesmo tiveram um talão de cheques em mãos. Antes disso, porém, as folhas eram um meio de pagamento muito popular no Brasil. 

De acordo com a pesquisa "O brasileiro e sua relação com o dinheiro", realizada pelo Banco Central, apenas 7% dos consumidores pagaram suas contas com cheque, boleto bancário ou cartão de crédito em 2018. 

Embora relativamente raros, eles ainda existem. Em 2019, cerca de 550 milhões de transações bancárias envolvendo cheques foram realizadas no país, segundo o Banco Central. 

Além disso, de acordo com o estudo, foram processados ​​R$1,52 bilhão em cheques em 2019, e R$1,67 bilhão no ano anterior.

Quer entender melhor como os cheques funcionam e porque eles ainda estão em plena circulação? Continue lendo o conteúdo a seguir!

Abra a sua conta corrente pessoa física da Ailos e entenda por que o cooperativismo pode mudar a sua vida!

O que é um cheque?

De modo geral, o talão de cheques fornecido pelas instituições bancárias é uma espécie de bloco com várias folhas retangulares removíveis. 

Essas folhas já vêm com todo tipo de informação impressa - por exemplo, nome, banco, agência. 

No entanto, eles também possuem campos para o valor que deve ser pago ao destinatário e uma assinatura para confirmar a identidade do emissor. 

Ou seja, para preencher um cheque, a pessoa pega um dos papéis e escreve o valor a ser pago, o nome do beneficiário e a data do pagamento. 

Os cheques são regulamentados pela Lei 7.357/85, que os define como “títulos de crédito representativos de instruções de pagamento em dinheiro”. 

É também um contrato de confiança de pagamento, já que não há como determinar se existe saldo na conta do emissor para compensar o cheque.

Quais são os principais tipos de talão de cheque?

Existem vários tipos de cheques. Aqui, listamos os principais deles. A seguir, exploraremos algumas das características de cada um, então continue lendo.

Nominal

Nesse tipo de cheque, o nome do beneficiário é escrito pelo emissor. Portanto, se o beneficiário quiser transferir o cheque para terceiros para depósito e saque, ele precisa endossar no documento. 

Isso pode ser feito assinando o verso do formulário. Se, por algum motivo, o emitente não quiser que o beneficiário transfira o cheque para um terceiro, basta escrever "não à ordem" após o nome dessa pessoa. 

Este tipo de cheque é denominado "nominal não à ordem". O nominal comum é chamado de “nominal à ordem”.

Portador

Um cheque ao portador é aquele que não contém o nome do beneficiário. Portanto, qualquer pessoa pode depositar ou sacar dinheiro. 

No entanto, esse modelo de cheque só pode ser emitido com valores de até R$100. Para quantias maiores, os cheques devem ser nominais.

Cruzado

Um cheque cruzado tem duas linhas paralelas na frente. Isso significa que os cheques não podem ser descontados no caixa e devem ser depositados em uma conta bancária. 

Essa é uma medida de precaução, pois o emissor terá mais tempo para sustar o cheque em caso de furto ou roubo.

À vista

O cheque à vista é um cheque que, ao ser preenchido, incluirá a data da compra e poderá ser descontado pelo beneficiário a qualquer momento.

Pré-datado

Como o nome indica, os cheques pré-datados são pré-preenchidos com uma data futura. Então só será compensado a partir dessa data. Ou seja, garante que naquela data haverá saldo na conta e o valor acordado será recebido.

Bancário

O cheque bancário é um tipo diferente em que o banco atua como intermediário, que "distribuirá" o valor acordado para garantir seus fundos. 

Ou seja, quem recebe tem a garantia de ter o valor acordado no saldo bancário. Esse tipo de cheque costuma ser usado para grandes transações, como a compra de carros e imóveis. 

Além disso, deve haver solicitação ao banco e outras burocracias para liberação, como saldos anteriores em sua conta corrente e um bom histórico de movimentações e transações de valores superiores.

Cheque não à ordem

Para cheques do tipo “não à ordem”, duas coisas devem ser impressas, invariavelmente: a frase "não à ordem" deve ser incluída na frente e "não endossável" deve ser incluída no verso. 

Isso garante que o único recebedor possível será a pessoa listada como beneficiário no formulário de cheque. Uma terceira pessoa não pode depositar ou sacar cheques sem ordem. É por esses pontos que é considerado o tipo de cheque mais seguro que existe.

Visado

O nome não é muito intuitivo, mas o cheque visado é um modelo com algumas demarcações bancárias, que pode ser um selo ou uma assinatura, como garantia do banco. 

Com isso, o valor ali preenchido aparecerá no saldo da conta corrente do emissor do cheque.

Especial

Um cheque especial não é um cheque físico. Na verdade, um cheque especial é um valor que um banco fornece em uma conta corrente. 

Caso ela esteja zerada, o usuário poderá sacar o valor ou debitá-lo de sua conta. O cheque especial carrega altas taxas de juros e, para alguns, pode ser difícil controlar as contas quando ele está ativo.

Administrativo

Quando um cliente solicita um cheque administrativo, ele escolhe um cheque pré-preenchido com os valores já impressos nas folhas. 

Para que o cheque administrativo seja emitido, o saldo do correntista já deve ter o valor em questão, o que aumenta a segurança do recebedor.

Como funciona um talão de cheque?

Cheque é uma ordem de pagamento que pode ser paga à vista ou a prazo. Isso significa que, ao repassá-lo, o emissor emite uma ordem ao banco para pagar um determinado valor ao beneficiário. 

Além disso, é também um instrumento de crédito e, portanto, uma confirmação da dívida por parte do emissor. Ele funciona como um contrato de pagamento, afirmando com segurança que seu titular tem direito a um valor especificado. 

Alguns bancos entregaram talões de cheques congelados aos clientes com instruções para solicitar o descongelamento para manter o processo seguro. Portanto, é necessário desbloqueá-lo antes de enviar o primeiro cheque. Veja como preenchê-lo abaixo.

Inclua o número na parte superior direita

Este é o valor que será referenciado no cheque. Deve ser feito sem qualquer tipo de rasura e claramente identificável. 

Para evitar qualquer tipo de alteração, é recomendável usar # antes e depois do número. Portanto, o banco tem pleno conhecimento do valor que deve ser transferido.

Escreva o valor por extenso

Como forma de garantir que o valor seja descrito corretamente, é necessário escrever o valor completo neste campo. 

Neste campo, coloque os valores descritos com números entre parênteses para evitar qualquer tipo de modificação. Se houver espaço no campo, preencha-o com linhas, também como medida de segurança.

Adicione o nome do beneficiário

Aqui você deve escrever o nome da pessoa ou instituição que receberá o valor. Essa descrição aparece após o valor da transcrição completa, descrita como "a" e "ou em seu pedido".

Coloque a data e o local de preenchimento

Ao preencher a data, considere onde você mora e a data em que o cheque foi emitido. Ou seja, não foi considerada a data em que o beneficiário deveria parar.

Faça a assinatura

A assinatura deve ser a mesma do seu RG ou registro no banco emissor do talão de cheques. Fique atento a este campo, pois o cheque pode não ser aceito pela instituição financeira caso seja reconhecida assinatura diferente.

Em quais situações os cheques ainda são utilizados?

Uma das razões pelas quais os cheques ainda são amplamente utilizados é que eles são usados ​​como garantia — quando a segurança precisa ser fornecida nas negociações. 

Exemplo: você aluga itens para um casamento e deixa um cheque caução (geralmente de valor superior ao produto alugado) quando recebe os itens de volta. 

Esta é uma forma de garantir a devolução do artigo alugado. Caso contrário, a instituição não perderá dinheiro porque receberá o valor do cheque de depósito.

Se o item for devolvido conforme o combinado, o formulário de inspeção também será devolvido ao cliente. 

Esse uso é frequentemente visto em aluguel de carros e propriedades. Cheques também são comuns para algumas pequenas empresas que aceitam pagamento antecipado, que só será compensado algum tempo depois da data da compra. 

Ou seja, você faz uma compra hoje, mas a empresa adianta a data do cheque em 30 dias. Portanto, somente após esse horário, o proprietário poderá fazer um depósito. Essa forma de uso pode ser vista em alguns estabelecimentos e supermercados.

Pagar com cheque às vezes é mais atraente para os empresários que não precisam arcar com os custos operacionais da máquina de cartão e ainda repassam a folha de pagamento para a operadora de pagamento. 

Além disso, devido ao desconhecimento dos métodos de pagamento eletrônico, algumas pessoas ainda optam por cheques.

Empréstimo com cheques

Para obter esse tipo de empréstimo, você deve se inscrever em uma instituição financeira ou banco. Ao finalizar a transação, é necessário sacar um talão de cheque no valor proporcional ao número de parcelas a serem pagas. 

Você trabalhará com seu banco para definir a data do cheque. É importante escolher uma data em que você tenha certeza de que tem dinheiro suficiente em sua conta para se qualificar para o desconto.

As regras são simples. A primeira é que o recibo deve estar no nome do beneficiário da carta de crédito. A única exceção são as pessoas com nomes negativos. 

No entanto, é possível apresentar o cheque em nome de outra pessoa que será a fiadora ou avalista do seu empréstimo. Além disso, sua conta deve ter pelo menos 6 meses de atividade mostrando transações recentes.

Finalmente, é normal que seja exigido um rendimento mínimo para a emissão de um empréstimo. É recomendável que você esteja preparado para apresentar comprovante de renda (se necessário).

Quais são as vantagens de usar um talão de cheque?

A vantagem do consumidor pagar com cheque é que ele pode escolher a data de liquidação do pagamento. Para os lojistas, o benefício é que não há necessidade de pagar as taxas cobradas pela operadora do cartão para efetivar a transação. 

Outro ponto positivo de pagar com cheque é que se você perceber que vai pagar atrasado, pode ser renegociado com mais facilidade e não será cobrado juros pelo atraso. Confira mais detalhes a seguir!

Segurança

Ao preencher o nome do beneficiário, mesmo que o cheque seja extraviado, outros não poderão descontá-lo. Desta forma, os ladrões terão sempre mais dificuldade em sacar o valor de um determinado cheque, devido às normas de segurança aplicáveis. 

Para garantir que o dinheiro seja recebido exclusivamente pelo beneficiário ou entidade destinatária do cheque, pode e deve emitir cheques "não à ordem". Assim, a folha não poderá ser descontada por outra pessoa. 

Movimentação de grandes quantias

Os cheques permitem que grandes somas de dinheiro sejam pagas de forma segura e prática. Imagine que você precisa sacar uma grande quantia em dinheiro. Porém, há um limite máximo de saque permitido nos caixas eletrônicos — geralmente de R$1.000,00.

Da mesma forma, existem limites para transferências eletrônicas, que variam de acordo com a instituição financeira. Nesse contexto, utilizar cheques pode ser uma boa alternativa. 

Ausências de taxas

Apesar da adesão das pessoas físicas aos modelos de pagamento digital, o cheque ainda é amplamente utilizado, principalmente por microempresários. Isso porque funciona bem como moeda e, ao contrário dos cartões de crédito e débito, não cobra nenhuma taxa. 

Além disso, por exemplo, os cheques permitem o parcelamento sem utilização dos limites do cartão de crédito. Dito isso, não há necessidade de ter um limite alto para compras de alto valor, como costuma ser limitado àquelas com alto score no banco.

Registro de movimentações 

Na era da fraude online e das ameaças à segurança cibernética, os pagamentos com talões de cheques oferecem uma camada extra de proteção. 

Isso porque, um cheque não pode ser interceptado ou redirecionado para uma parte não autorizada como o dinheiro colocado em uma conta bancária pode ser. 

Outra vantagem é que as transações com cheques são mais fáceis de rastrear e documentar do que pagamentos em dinheiro — assim você sempre terá um rastro em papel se você precisar dele. 

Os talões também permitem aos usuários monitorar seus gastos mais facilmente; com cada cheque vem um registro da transação que pode ser usado para verificar se os fundos foram retirados nos valores desejados a qualquer momento. 

Desvantagens do uso de cheque

Sempre há dois lados em uma moeda e, nesse caso, também há algumas desvantagens em usar um cheque. Vamos conhecê-los.

Prazos

Há um prazo de oito dias para apresentar o cheque ao banco e receber o pagamento. Este período é calculado a partir da data de emissão. Após oito dias, o banco pode se recusar a pagar, ou a pessoa que emitiu o cheque pode ordenar que o banco não libere a quantia. 

Além disso, todos os cheques têm uma data de validade, geralmente um ano. Após a data de vencimento, o banco recusará o pagamento. Se não os gastar, pode devolvê-los ao banco, mas algumas instituições cobram uma taxa por esta operação.

Valor elevado

Alguns bancos oferecem um número limitado de cheques se o cliente assinar um pacote de serviços específico, mas, em geral, os cheques são caros. Os preços variam de acordo com o banco e o tipo de cheque, acrescido de imposto de selo.

Baixa aceitação

Há alguns anos, praticamente todos os estabelecimentos de consumo e serviços aceitavam o cheque como meio de pagamento. 

Atualmente, com a popularização dos cartões de débito, crédito, PIX e pagamentos virtuais, poucos locais continuam recebendo cheques.

Como depositar um cheque?

Existem duas formas de depositar cheques: direto na “boca do caixa” ou no caixa eletrônico do banco. Em ambos os casos, você deve identificar o beneficiário (cheque nominal), preferencialmente cruzado, no documento. 

Você também pode adiantar a data do cheque se houver uma data de compensação específica. Tudo isso é para garantir depósitos corretos e reduzir o risco de fraude. Veja abaixo as instruções passo a passo para depositar um cheque.

Na “boca do caixa”

  1. Tenha em mãos documentos com foto, número da conta e cheques;
  2. Pegue o envelope para depositar na agência, podendo retirar no caixa;
  3. No envelope, descreva todas as informações solicitadas, como: número da conta, valor e se o depósito é em conta corrente ou poupança;
  4. Depois de preencher todas as verificações, coloque o cheque no envelope;
  5. Vá a um caixa, passe o envelope e informe em que tipo de conta você deseja depositar: poupança ou cheque;
  6. Finalmente, você receberá um comprovante ou recibo para o depósito realizado.

No caixa eletrônico

  1. Dirija-se a uma caixa eletrônico do banco onde tem conta;
  2. Pegue um envelope de depósito e preencha todas as informações como faria em um caixa com atendimento humano;
  3. Logo após, faça os trâmites iniciais no caixa e selecione a opção “Depósito”;
  4. Selecione a conta e clique na opção "cheque";
  5. Ao inserir um cheque, verifique qual lado deve ser inserido primeiro. Na própria máquina existe esta instrução;
  6. Algumas instituições permitem que você deposite até 10 cheques em um caixa eletrônico de uma só vez;
  7. Por fim, a máquina imprimirá um comprovante de depósito com as informações inseridas.

Cheque sem fundo: e agora?

Um cheque sem fundo é basicamente um cheque normalmente sacado. O problema é que, quando se trata de compensação, o valor emitido no cheque não está disponível no saldo da conta corrente. 

Nessa situação, o ideal é aguardar o banco tentar compensar o cheque novamente. Se isso não acontecer, procure sua agência e , se possível, um advogado. Existem formas legais de receber esse valor acordado por cheque.

Como sustar um cheque?

Sustar um cheque é o ato do emitente de anular o valor especificado no talão de cheques. Essa prática é comum em casos de compras canceladas ou mesmo roubo ou furto do talão de cheques do emissor. 

Considere fazer esse procedimento somente quando for absolutamente necessário. Para isso, basta procurar o gerente do seu banco ou até mesmo solicitar esse serviço pelo app do seu banco. 

Em alguns casos, é necessário ir a um caixa eletrônico para bloquear a conta. Nesse cenário, é recomendado:

  • Informar por escrito à empresa ou beneficiário, explicando os motivos;
  • Se for o resultado de um furto, pode ser necessária uma ação legal para rescindir o contrato;
  • Monitorar o processo, buscando resultados positivos;
  • Em caso de desentendimento comercial, é aconselhável fornecer ao prestador de serviço os comprovantes do problema, como testemunhas, e-mails ou mesmo registros fotográficos, gravações de áudio e vídeos.

Abra a sua conta corrente pessoa física da Ailos e entenda por que o cooperativismo pode mudar a sua vida!

Conclusão

Esperamos que, por meio da leitura deste artigo, você tenha adquirido uma compreensão mais clara sobre o cheque quando e como usá-lo, as vantagens e desvantagens envolvidas, e como depositar um cheque.

Apesar das recentes mudanças na tecnologia, os cheques continuam a ser populares devido à sua conveniência e versatilidade. 

Quando usados corretamente e com responsabilidade, eles podem ajudá-lo a proteger seu dinheiro e manter um melhor controle de suas finanças.

 Para aqueles que procuram uma solução fácil, a Ailos oferece contas correntes pessoais com múltiplos recursos projetados para tornar o gerenciamento de suas finanças ainda mais fácil do que nunca, incluindo talões de cheque. 

Junte-se à Ailos agora e comece a tirar proveito de tudo o que nossos serviços têm a oferecer!

ailos_blog_admin

Receba nossa newsletter

Inscreva-se

Faça um comentário

Últimos comentários (5)

Ocultar comentários