• 2 de agosto de 2022
  • 9 minutos

13 Tipos de Cooperativas: entenda o objetivo de cada uma delas

9 minutos
Tipos-de-cooperativas
Tipos-de-cooperativas

Se você começou a pesquisar sobre o cooperativismo, já deve ter percebido que existem diversos tipos de cooperativas. Talvez tenha se deparado com as mais famosas, que são as de crédito e as agropecuárias. 

Mas além delas ainda existem outros 11 ramos do cooperativismo, desde educação até turismo — totalizando 13 tipos de cooperativas. 

Cada setor não para de crescer! Segundo o anuário de 2019 da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), já são mais de 5.300 cooperativas espalhadas ao redor do Brasil, todas gerando um impacto positivo na sociedade. 

Isso apenas reforça a importância e a necessidade de entender mais a fundo como cada ramo funciona e quais são seus resultados socioeconômicos. 

Para te ajudar a entender melhor este assunto, a equipe Ailos desenvolveu este artigo completo, com tudo o que você precisa saber sobre os 13 tipos de cooperativas. Acompanhe! 

Conheça o Sistema Ailos: a economia colaborativa com essência de quem faz diferente!

Agropecuárias

Um dos ramos do cooperativismo que mais chama a atenção é o agropecuário. Essa modalidade tem como principal objetivo auxiliar os produtores rurais. 

Os cooperados recebem ajuda para diversas etapas do seu processo de produção — desde estratégias de cultivo e plantio até comercialização e exportação dos produtos. 

As exportações ilustram bem o poder do coletivo: se um agricultor, sozinho, tentar exportar seus produtos, não terá sucesso. 

Mas quando isso é feito em grande escala, com a união entre todos os cooperados, se torna algo altamente viável. 

É interessante que não apenas os produtores rurais se encaixam nessa modalidade — pescadores e pecuaristas também são beneficiados. 

Crédito

Em segundo lugar estão os tipos de cooperativas de crédito, também chamadas de financeiras, que existem desde o início do século XX no Brasil.

Seus principais serviços à sociedade são:

  • abertura de poupança;
  • realização de empréstimos e financiamentos a juros baixos;
  • disponibilização de contas digitais e apps para pagamentos e acompanhamento financeiro;
  • além de outros benefícios mais acessíveis do que aqueles oferecidos pelas instituições financeiras tradicionais.

Assim como outras instituições tradicionais, as cooperativas de crédito também são regulamentadas pelo Banco Central e pelo Sistema Financeiro Nacional (SFN). 

Isso significa que elas são tão seguras e bem fiscalizadas quanto qualquer outra modalidade. 

A grande diferença é, justamente, a união de pessoas com objetivos em comum, que tornam os produtos e serviços financeiros cada vez mais acessíveis, promovendo a facilidade de acesso. 

Neste quesito, o Sistema Ailos se destaca e apresenta as taxas mais atrativas do mercado, além de uma gestão colaborativa transparente e preocupada com o desenvolvimento da comunidade. Vale a pena conhecer mais de perto!  

Educacionais

Foto: Pexels | Tipos de cooperativas educacionais. 

Cooperativas educacionais têm a clara missão de promover o acesso facilitado à educação, unindo professores e pais para garantir a melhor qualidade de ensino possível. 

Assim, com a administração e manutenção local dos estabelecimentos de ensino, é possível garantir um preço mais justo para que novos alunos ingressem e o corpo docente seja mais valorizado. 

Do mesmo modo como qualquer outra instituição, elas também são regularizadas pelo Ministério da Educação (MEC) e apresentam equipes multidisciplinares, com pedagogos e outros especialistas. 

Especiais

Esse ramo contempla mais um viés social indispensável, visando o atendimento a:

  • pessoas com deficiência (PcD);
  • pessoas que precisam de tutela de terceiros;
  • dependentes químicos ou psíquicos;
  • os ex-prisioneiros e detentos com penas alternativas.

Por ter atuação exclusivamente social, o objetivo é desenvolver a cidadania e a reabilitação social desses indivíduos para desfrutarem de mais oportunidades. 

Algo interessante, que precisa ser ressaltado, é que as PcD que podem trabalhar livremente não se enquadram nesta modalidade de cooperativa. 

Quem dita isso é a Lei 9.867/1999, além das documentações e atestados que comprovem a desvantagem social do indivíduo devido à sua deficiência. 

Habitacionais

Como o próprio nome sugere, os tipos de cooperativas habitacionais visam facilitar o acesso às moradias e reduzir os custos de aquisição de novas casas e habitações.

Quem faz parte desses ramos? Alguns profissionais como:

  • técnicos e especialistas em construção civil;
  • pessoas bem dispostas que participam em mutirões de construção;
  • interessados que desejam contribuir no financiamento de recursos para a construção das casas.

Assim, o trabalho de todos só termina, oficialmente, quando cada sócio tiver a sua própria habitação, conforme sua contribuição mensal. 

Minerais

É fato que o trabalho de mineração não é algo simples. Há muita periculosidade e burocracia envolvidas no processo. 

Por isso, o objetivo é unir esses profissionais mineradores e ajudá-los a viabilizar e regulamentar seu trabalho. 

Também oferecem apoio no dia a dia de trabalho, com serviços de alimentação, saúde e bem-estar e até mesmo educação. 

Algumas das atividades prestadas pelas cooperativas são:

  • pesquisa;
  • extração;
  • lavramento;
  • industrialização e comercialização;
  • importação e exportação de produtos e matérias primas.

Todas essas etapas são aplicadas em produtos como:

  • água mineral;
  • cal e calcário;
  • cerâmica e revestimentos;
  • joias e pedras preciosas;
  • gessos e rochas;
  • mármores e granitos e muito mais. 

Infraestrutura

cooperativas-de-energia

Todas as atividades disponibilizadas ao público, para manter a qualidade de vida nas cidades e nas áreas rurais, são oferecidas pelos tipos de cooperativas de infraestrutura. 

Um exemplo comum, que funciona muito bem, é a eletrificação rural. Na ausência das concessionárias de energia elétrica comuns, especialmente em locais remotos ou de difícil acesso, elas tomam a vez e auxiliam a população. 

Ainda outros ramos de atuação das instituições de infraestrutura, são:

  • limpeza pública;
  • saneamento básico;
  • segurança e proteção urbana;
  • telefonia e comunicação;
  • mecanização e irrigação, e muito mais.

Produção

Produzir bens de consumo é o principal objetivo das cooperativas de produção. 

Nelas, todos os associados participam da rotina produtiva, independentemente da área — desde o setor administrativo e organizacional, até o técnico e operacional. 

Assim, mesmo aqueles que não colocam a “mão na massa” ao produzir podem ficar encarregados de industrializar, embalar e comercializar os produtos. 

É muito comum ver essa modalidade no ramo de produção de fogões, móveis de madeira e confecção de roupas e enxovais. 

Consumo

O objetivo dos tipos de cooperativas de consumo é a compra e o abastecimento de bens de consumo diários. A logística é a seguinte: 

  • quanto mais pessoas se unem, maior a demanda por estes bens e menor o preço de aquisição;
  • assim, é possível comprar itens com desconto e gerar economia, especialmente para as classes mais baixas em termos de renda. 

É possível comparar essa iniciativa com os supermercados comuns, com o grande diferencial dos preços mais baixos. 

Ainda, existe também a questão da relevância do comprador, que não é “apenas mais um”, mas sim alguém que faz parte da liderança do negócio. 

Trabalho

A união entre os diversos trabalhadores autônomos trouxe apenas bons resultados: as tão esperadas condições de trabalho adequadas foram conquistadas! 

Para entender melhor, a proposta da cooperativa de trabalho é a seguinte: cada segmento de prestadores de serviços cria sua própria iniciativa. 

O objetivo é trazer ainda mais benefícios aos profissionais da área e regularizar as vertentes de atuação da profissão. 

Existem os mais diversos ramos, como:

  • artesãos;
  • costureiras;
  • dentistas;
  • construtores civis;
  • catadores de materiais recicláveis;
  • faxineiros;
  • zeladores de prédios e condomínios;
  • escritores;
  • atores e muito mais! 

E não se preocupe: a Lei nº 12.690/2012 prevê todas as ações e estabelece a necessidade de fiscalização. Então, é tudo devidamente regularizado! 

Saúde

iniciativas-de-saude

A promoção da saúde humana é o foco desses tipos de cooperativas. 

Os planos de saúde e iniciativas de clínicas e parcerias com hospitais ao redor do Brasil são garantidas por essa vertente do cooperativismo. 

Assim, o acesso a atendimento de qualidade e a profissionais de alto nível é possibilitado. Essa é uma excelente alternativa para os caros e inacessíveis planos de saúde convencionais. 

Segundo a OCB, já são mais de 22 milhões de brasileiros atendidos por esses planos de saúde, tanto em atendimento médico quanto odontológico. 

Turismo e Lazer

Serviços artísticos e turísticos de viés cultural e esportivo também são promovidos pelos ramos do cooperativismo. 

Para isso, existem parcerias com hotéis, pousadas, agentes de viagens, guias turísticos e profissionais da área, que oferecem:

  • entretenimento;
  • iniciativas esportivas;
  • eventos artísticos e culturais;
  • viagens nacionais e internacionais e muito mais! 

Transporte

Por fim, temos a categoria de Transporte, que pode ser classificada na prestação de serviços de transporte de cargas e passageiros. 

Várias modalidades são atendidas aqui:

  • táxi e moto táxi;
  • vans, ônibus e sistemas escolares;
  • caminhões, motos, furgões e relacionados.

Todas as regras e fiscalizações são feitas pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT). 

Confira quais os benefícios em se associar ao Sistema Ailos! 

Perguntas Frequentes sobre ramos do cooperativismo:

cooperativismo

Foto: Pexels | Perguntas frequentes sobre as cooperativas. 

Para te ajudar a entender ainda mais sobre os ramos do cooperativismo, selecionamos algumas das principais perguntas que recebemos. Confira as respostas abaixo:

Quantos tipos de cooperativa existem?

Existem 13 tipos de cooperativas, cada uma destinada a atender uma necessidade específica da sociedade. O foco no coletivo e no viés socioeconômico sempre está presente! 

Quais são os 13 ramos de cooperativa?

Os 13 tipos de cooperativa são:

  1. agropecuária;
  1. crédito;
  2. educacionais;
  3. especiais;
  4. habitacionais;
  5. minerais;
  6. infraestrutura;
  7. produção;
  8. consumo;
  9. trabalho;
  10. saúde;
  11. turismo e lazer;
  12. e transporte.

Quantas cooperativas existem no mundo?

Mais de 3 milhões de cooperativas. Elas somam mais de 1 bilhão de cooperados e mais de 280 milhões de empregos gerados. Os dados são da Aliança Cooperativa Internacional (ACI).

Conclusão

Percebeu como os 13 tipos de cooperativas são relevantes e altamente necessários para manter o bom funcionamento da sociedade em termos de infraestrutura e desenvolvimento? 

Esperamos que, ao ler este artigo, você tenha entendido melhor como cada um deles funciona e como tudo deve funcionar. 

Se você gosta de conteúdos como este, com foco em temas relacionados a cooperativas, crédito, educação financeira e investimentos, precisa explorar o Blog Ailos!

Nele, compartilhamos apenas os melhores conteúdos com aplicações práticas e conceitos extremamente úteis aos cooperados e interessados no ramo. Vale a pena conferir! 

Receba nossa newsletter

Inscreva-se

O Internet Explorer está sendo descontinuado.
Por favor, use outro navegador para acessar o blog. Veja alguns navegadores que você pode utilizar: