• 7 de dezembro de 2022
  • 12 minutos

Como abrir uma conta conjunta?

12 minutos

Quando o casal oficializa uma união estável, é normal que ambos tenham o desejo de abrir uma conta conjunta — já que ela proporciona diversos benefícios. 

Involuntariamente, a renda individual da relação acaba se tornando conjunta e fica mais simples de gerir em uma conta conjunta. 

Apesar de existirem casais que ainda preferem gerir suas finanças individualmente, a conta conjunta é a predileta quando o assunto é compartilhamento da vida financeira. 

Atualmente, qualquer casal que entra em um acordo de dividir a vida financeira tem o direito de solicitar uma conta conjunta. 

No entanto, é muito comum que o casal inexperiente em finanças se pergunte: “Como abrir uma conta conjunta”. Então, é mais simples do que se parece. 

Por isso, a Cooperativa Ailos, neste artigo, explicará o passo a passo de como abrir uma conta conjunta de uma maneira eficaz. 

Se você deseja começar a sua vida financeira em casal com o pé direito, conte com a Cooperativa Ailos. Oferecemos as melhores condições financeiras para o alavancar a vida do casal. 

O que é uma conta conjunta? 

Em suma, uma conta conjunta é uma conta bancária que é gerida por mais de um titular. Geralmente, um casal ou familiares como pais, filhos ou até irmãos. 

No entanto, não é obrigatório que exista alguma relação de parentesco para abrir uma conta conjunta, basta o consentimento das pessoas que abrirão a solicitação. 

Atualmente, existem dois tipos de conta conjunta, a conta conjunta solidária e a conta conjunta simples (ou não-solidária). Conheça um pouco mais sobre cada uma abaixo:

  • Conta conjunta solidária: qualquer titular da conta pode realizar transações financeiras independentemente; 
  • Conta conjunta simples (ou não-solidária): para realizar operações financeiras, é necessário a assinatura de cada titular. 

Em ambos casos, o processo de abertura da conta é similar a uma conta individual, o que mudará são os documentos solicitados pela instituição financeira. 

No caso da conta conjunta, para realizar a abertura, será necessário a apresentação das documentações de cada titular, seja parceiro(a), filho(a), irmã(o) ou outros.

Quem pode abrir uma conta conjunta?

Como não é necessário ter nenhum tipo de parentesco com o outro titular da conta conjunta, é normal que as pessoas se confundem na hora de realizar a solicitação. 

Muitas pessoas pensam que só é possível abrir uma conta conjunta sendo casado ou noivado, mas vai muito além disso. 

Para abrir uma conta conjunta é necessário ter mais de 18 anos. Com isso, pode abrir conta conjunta: 

  • Casados em papel;
  • Pessoas com união estável; 
  • Moradores da mesma residência;
  • Namorados;
  • Parentes próximos, como pais, filhos, irmãos e primos, por exemplo;
  • Amigos, sócios e outras pessoas sem nenhuma relação de parentesco. 

Menores de idade também podem realizar a abertura da conta conjunta, desde que estejam acompanhados por seus responsáveis. 

Como qualquer pessoa acima de 18 anos pode abrir uma conta conjunta, é importante avaliar se a abertura realmente vale a pena, já que existem benefícios e riscos a serem avaliados. 

Como abrir uma conta conjunta?

Como ressaltado anteriormente, abrir uma conta conjunta é bem similar à abertura de conta individual. 

A diferença é que na conta conjunta é necessário a apresentação da documentação de todos os titulares. 

Primeiramente, para você abrir sua conta conjunta, você e seus titulares devem escolher a melhor instituição financeira com benefícios de qualidade. 

Após escolher a instituição financeira que se integre com as necessidades dos titulares, será necessário apresentar as seguintes documentações:

  • CPF; 
  • RG ou documento de identificação com foto; 
  • Comprovante de residência; 
  • Comprovante de renda. 

No entanto, vale ressaltar que cada banco possui suas próprias regulamentações. Portanto, dependendo da instituição financeira, pode ser solicitado mais informações.

No caso de bancos digitais, a abertura de conta conjunta deverá ser feita através de aplicativo ou site e os documentos deverão ser anexados virtualmente. 

Após enviar todos os documentos solicitados pelo banco, seu cadastro será analisado e quando sua conta estiver aberta a instituição financeira enviará uma notificação por e-mail eletrônico ou SMS. 

Quais bancos oferecem conta conjunta?

Desde sempre, a conta conjunta é uma modalidade muito popular entre os casais e famílias. Por isso, ela é oferecida por diversas instituições, principalmente as tradicionais. 

Se você preferir as fintechs, é importante realizar uma análise de instituições digitais que oferecem a modalidade, já que as mais populares podem não ter a opção. 

No entanto, se você não se incomodar de abrir sua conta conjunta em instituição financeiras tradicionais, as mais populares que oferecem a modalidade são: 

  • Itáu; 
  • Caixa Econômica Federal; 
  • Bradesco; 
  • Banco do Brasil; 
  • Santander; 

Estas só são algumas das principais instituições financeiras que oferecem conta conjunta para seus clientes. 

Caso você queira promover mais benefícios para seus titulares, é válido optar por cooperativas como o Ailos — que oferece inúmeras vantagens com sua conta conjunta. 

Tipos de conta conjunta 

Apesar de já termos introduzido sobre os dois tipos de conta conjunta, é necessário aprofundarmos mais no assunto para não restar dúvidas na hora da abertura. 

Cada tipo de conta conjunta possui suas próprias características e, ao mesmo tempo que podem ser benéficas para alguns, podem ser maléficas para outros. 

Por isso, é importante, antes de realizar a solicitação na instituição financeira, estudar qual é o melhor tipo de conta conjunta para os seus titulares. 

Para você não ter dúvidas durante a solicitação, o Ailos separou explicações valiosas sobre cada uma. Confira abaixo! 

Simples

Apesar de ser oferecido por alguns bancos, esse modelo de conta conjunta é pouco utilizado no Brasil e Portugal.

Isso devido à burocracia que existe para realizar movimentações financeiras nesse tipo de conta. 

Como dito anteriormente, essa modalidade exige que todas as transações financeiras sejam autorizadas por todos os titulares da conta conjunta. 

Por exemplo, se um casal possui uma conta conjunta simples e um deles decide realizar uma simples transferência de TED. A transação só será realizada após a autorização do outro titular. 

Solidária 

De maneira geral, o princípio básico da conta conjunta solidária é que as movimentações financeiras podem ser realizadas de maneira independente — sem a autorização do outro titular. 

Ou seja, todos os participantes da conta conjunta podem realizar suas transações livremente e o poder de controle da conta é igual para todos. 

Embora essa seja a modalidade mais utilizada no Brasil, é necessário ter um pouco de cuidado na hora de escolher o co-titular. 

Por exemplo, se você escolher um titular que não seja de tanta confiança, ele terá o controle total de todos os recursos depositados na conta bancária. 

Por isso, se essa opção for viável para você, escolha um co-titular que seja de confiança, como um parente próximo, seu (sua) companheiro(a), sócio e outros. 

Como declarar a conta conjunta no imposto de renda?

Aos titulares de conta conjunta que declaram imposto de renda (IR), mesmo nessa modalidade ainda é necessário declarar seus rendimentos. 

Isso não vale somente para um titular, mas também para todos que já declaravam imposto de renda. O que muda é que deve ser ratificado a participação do titular na conta bancária. 

No entanto, em caso de titulares cônjuges, apenas um deverá declarar o IR. Caso um esteja isento da declaração, o outro deve declarar todo o valor. 

Geralmente, as instituições financeiras enviam informes de rendimentos necessários para a declaração de rendimento. O documento pode vir com o nome de um titular, mas serve para todos os participantes da conta bancária. 

Vantagens de uma conta compartilhada 

As pessoas não criam suas contas conjuntas somente para firmar um acordo financeiro, mas também pelas vantagens que ela pode proporcionar. 

Se você deseja abrir uma conta conjunta e não sabe os benefícios da modalidade, o Ailos separou as principais vantagens da conta compartilhada. Confira abaixo:

Facilidade de controle 

A conta compartilhada será de bom proveito para aquelas pessoas ou casais que gostam de facilidade no controle das finanças, principalmente quando moram juntos. 

Se você compartilhar a sua renda com seu companheiro(a), parente ou outros, é bem provável que a conta conjunta promova uma maior facilidade de controle. 

Isso porque não será necessário comprovar regularmente o que foi gasto ou pago, já que todos os titulares terão conhecimento de todas as movimentações da conta. 

Objetivos em comum 

Se você deseja abrir uma conta conjunta, muito provavelmente, você terá os mesmos objetivos que o seu co-titular. 

Por exemplo, caso você queira investir em uma viagem, a conta conjunta pode ser um grande aliado, já que otimiza a concentração de gastos e até mesmo acúmulo mensal.

Por isso, muitos casais optam pela  conta conjunta quando possuem o mesmo objetivo, para poderem gerir os recursos que estão sendo direcionados para o propósito. 

Menor tarifa bancária

Com a conta conjunta também é possível arcar com menos tarifas bancárias, já que o valor do serviço será dividido entre dois.

No entanto, isso só é válido caso os titulares depositem seus recursos igualmente. Desse modo, as taxas bancárias serão divididas igualmente. 

Por isso, a conta conjunta é uma ótima opção se você está querendo se livrar das taxas bancárias da conta individual.

Vantajosa para idosos 

A conta conjunta não é só vantajosa para casais, famílias, amigos ou sócios, também é extremamente eficaz para idosos, principalmente para aqueles que não têm o conhecimento adequado sobre o funcionamento de contas bancárias. 

Portanto, se possui algum parente que possui dificuldades para manusear contas bancárias, a conta conjunta é uma boa opção para auxiliá-lo nas movimentações financeiras. 

Além disso, essa é uma maneira de proteger o idoso de cair em golpes e monitorar a saída do dinheiro.

Desvantagens de uma conta conjunta 

Tudo que é bom pode ter um lado negativo, como é o caso da conta conjunta. Apesar de ser benéfica em vários pontos, ela também tem suas desvantagens. 

No entanto, suas desvantagens não superam suas qualidades. Mas, sempre é bom colocar na balança o que será mais benéfico para a sua vida financeira. 

Para isso, também separamos algumas das principais desvantagens da conta conjunta. Confira abaixo!

Falta de privacidade

Como já diz o nome, a conta conjunta é compartilhada. Portanto, todas as movimentações feitas serão expostas para todos os titulares. 

Então, de primeira, pode ser um pouco incômodo, já que todas as transações financeiras serão expostas para co-titulares. 

Por isso, é importante que você escolha um titular que seja de confiança e, mesmo com acesso às suas transações, não invada sua privacidade. 

Maior responsabilidade

Diferente da conta individual, você estará diretamente ligada ao nome de outra pessoa. Portanto, a responsabilidade deve ser triplicada, já que a ação de um reflete no outro. 

Ao mesmo tempo que a conta conjunta promove diversos benefícios, ela também exige uma grande responsabilidade por parte dos titulares. 

Por isso, se você não é uma pessoa tão responsável com sua vida financeira, a conta conjunta pode não ser uma opção tão benéfica assim. 

O que acontece quando um dos titulares falecer?

A primeira ação que deve ser feita é ligar para a instituição financeira responsável pela conta conjunta para que solicitar os trâmites legais sejam iniciados.

Se a conta conjunta for simples, em que é necessário a autorização dos titulares para movimentação, fica impossibilitada qualquer tipo de transação. 

Em casos como esse, é necessário solicitar o encerramento da conta diretamente com a instituição financeira responsável. 

O valor que restar na conta conjunta será distribuído para todos os titulares, conforme a legislação brasileira. 

Já na conta conjunta solidária, quando um dos titulares ainda está vivo, é possível realizar livremente, já que o dinheiro na conta é propriedade de qualquer um dos integrantes. 

No entanto, em alguns casos, é possível que o valor em conta terá que ser inventariado, tornando as transações ilegais após a morte de um dos titulares.

Esses casos são comuns quando o herdeiro de um dos titulares entra na Justiça para solicitar a obtenção de direitos relacionados aos recursos em conta.

Quem responde pela conta conjunta?

Essa é uma dúvida muito comum entre as pessoas que optam pela conta conjunta, principalmente quando o co-titular trata-se de um sócio ou amigo. 

Em uma conta conjunta solidária, qualquer titular pode realizar transações financeiras, desde emitir cheques, realizar empréstimos, solicitar cartões de crédito e outros. 

Mas eis a questão: “Quem responde em caso de dívidas feitas na conta conjunta?”. Segundo Superior Tribunal de Justiça (STJ), somente quem realizou a dívida deverá ser responsabilizado pelo pagamento. 

Ou seja, em caso de não pagamento, somente o nome do titular que fez a dívida será registrado nos serviços de proteção ao crédito. 

Casos como esses já foram parar inúmeras vezes na justiça, quando um dos titulares tem o seu nome sujo por conta da dívida do outro. 

No entanto, se você deseja começar uma conta conjunta com uma vida financeira saudável, opte por uma instituição que ofereça o apoio necessário para você dominar seu patrimônio, como a Cooperativa Ailos. 

Como somos uma cooperativa, todos os nossos cooperados são beneficiados de alguma forma, para assim, poderem evoluir na sua vida financeira. Venha conhecer a conta conjunta do Ailos! 

Conclusão

Agora que você já sabe como funciona a conta conjunta, é possível entender que a conta conjunta possui um lado positivo e um lado negativo. 

O lado positivo pode ser desfrutado por qualquer pessoa, basta ter responsabilidade e utilizar a conta da maneira correta, além de escolher um co-titular de confiança. 

No entanto, o lado negativo também é fácil de ter contato, basta um deslize na comunicação com o co-titular, que a situação pode ir de bem à ruim, rapidamente. 

Por isso, é de extrema importância que você escolha um co-titular de confiança e que tenha o mesmo conhecimento financeiro que o seu. 

Desta maneira, você poderá fazer com que a conta conjunta trabalhe para você e alavanque seus recursos em conjunto. 

ailos_blog_admin

Receba nossa newsletter

Inscreva-se

Faça um comentário

Últimos comentários (0)

Ocultar comentários
O Internet Explorer está sendo descontinuado.
Por favor, use outro navegador para acessar o blog. Veja alguns navegadores que você pode utilizar: