• 8 de setembro de 2022
  • 9 minutos

Portabilidade de empréstimo: entenda o que é, como funciona

9 minutos
portabilidade-de-emprestimo-quem-pode-fazer

Adquiriu um empréstimo há algum tempo, mas notou que as parcelas estão pesando nas contas? Saiba que você pode fazer a portabilidade de empréstimo para sair de um contrato que não é mais tão vantajoso.

Esse procedimento nasceu para auxiliar quem pretende substituir uma dívida de banco. Assim, a concorrência no setor financeiro aumenta, incentivando as instituições a melhorarem suas ofertas para atrair mais consumidores. 

Para os clientes, trata-se de uma oportunidade para reduzir o endividamento. Afinal, permite trocar um empréstimo com altos juros por outro com taxas mais baratas. Confira mais detalhes a seguir!

Conheça as nossas soluções de crédito que cooperam com as pessoas, seus sonhos e negócios.

O que é a portabilidade de empréstimo?

Como o termo indica, a portabilidade de empréstimo é um processo que possibilita a troca do empréstimo atual por um novo mais benéfico. Portanto, você pode substituir seu empréstimo mudando de banco e taxas de juros. 

Imagine que você possui um plano de celular na operadora X. Porém, uma outra operadora Y te ligou, oferecendo as mesmas condições do seu plano atual, mas com valor 30% menor. A decisão mais sábia aqui é trocar de operadora, não é?

A mesma coisa pode acontecer com o empréstimo. 

Como funciona a portabilidade de empréstimo?

Entender mais sobre a portabilidade de empréstimo, como funciona e seus benefícios é essencial para tomar uma decisão acertada.

Na prática, esse processo funciona da seguinte forma: o cliente pede ao banco que lhe forneça o crédito, o saldo devedor para a quitação antecipada da dívida. 

Nesse extrato, estarão dispostos o valor presente da dívida, exceto os juros não pagos. Dessa forma, o banco fornece os dados da operação adquirida formalmente. 

Com essas informações em mãos, o cliente solicita o crédito eficiente para a quitação em um novo banco ou cooperativa financeira, com melhores condições. 

Feito isso, a nova instituição transfere o valor via TED (Transferência Eletrônica Disponível) para o banco anterior, assumindo a dívida. 

Com isso, ele deverá emitir um novo contrato de empréstimo, com as novas taxas e prazos de pagamento.

Quem pode fazer portabilidade de empréstimo?

portabilidade-de-emprestimo-quem-pode-fazer

Qualquer Pessoa Física que tenha adquirido um empréstimo pode realizar a portabilidade para uma nova instituição financeira. Isso é válido para todas as categorias de contratação — crédito consignado, empréstimo pessoal, cheque especial, financiamento e outras. 

Além disso, esse procedimento é inteiramente gratuito. Nenhuma organização financeira envolvida na operação poderá cobrar taxas pelo serviço. 

Entretanto, caso você ainda não seja correntista da empresa de destino, talvez terá que arcar com os valores da abertura de uma nova conta. 

Um ponto que merece atenção é sobre o valor total da dívida. Como a portabilidade consiste na transferência de uma dívida que já existe, o montante na nova instituição não poderá ser superior ao saldo original. 

Sendo assim, a única mudança permitida é na quantia das parcelas, devido à redução nos juros aplicados. 

Quando fazer a portabilidade do empréstimo?

Existem momentos na vida que exigem grandes mudanças, especialmente no âmbito financeiro. Solicitar uma nova modalidade de crédito pode ser a solução para quitar dívidas altas, arcar com prestações caras e conseguir desenvolver projetos pessoais

Contudo, antes de qualquer coisa, é necessário analisar a fundo suas finanças pessoais. Dessa forma, conseguirá identificar o quanto anda poderá gastar e o quanto terá que solicitar. 

De modo geral, a portabilidade só é vantajosa quando o CET (Custo Efetivo Total) da nova operação for menor que a atual. Isso envolve a soma de todas as taxas e tributos. Por isso, não considere somente os juros aplicados às parcelas.

Aliás, lembre-se sempre de pedir as informações sobre o CET para as duas instituições, antes de iniciar qualquer procedimento. 

Como fazer portabilidade de empréstimo?

Como dissemos logo acima, a portabilidade de crédito é inteiramente gratuita e, na maioria dos casos, bem rápida. Ao todo, a transferência de toda a dívida acontece em 5 dias úteis. Veja abaixo como aderir à solução. 

Contate o banco de origem

Assim que escolher a instituição com as melhores condições de pagamento, entre em contato com a empresa que lhe emprestou o dinheiro originalmente. Peça o extrato para a “amortização extraordinária”, “liquidação” ou “quitação antecipada” dos valores. 

O documento deverá ser entregue em um dia útil, contendo os seguintes dados:

  • número do contrato;
  • modalidade de crédito solicitada;
  • saldo devedor atualizado;
  • valor das parcelas com encargos;
  • taxa de juros anual nominal e efetiva;
  • demonstrativo de evolução do saldo devedor;
  • prazo total para o pagamento;
  • prazo restante.

Solicite a portabilidade

Depois que receber o boleto para a quitação antecipada da dívida, você já pode entrar em contato com a nova instituição e pedir a portabilidade. Contudo, vale lembrar que nenhuma empresa é obrigada a autorizar a transferência. 

Em alguns casos, é feita uma análise de crédito para entender se o cliente terá condições de arcar com o compromisso financeiro. Apenas depois desse processo é que a operação fica liberada. 

Mas, se você passou por todas essas etapas e conseguiu a autorização, só precisa aguardar. Em até 5 dias úteis, a portabilidade de empréstimo será finalizada. 

Isso significa que a nova instituição pagará o saldo devedor ao banco ou anterior e assumirá o empréstimo.

Como escolher a nova instituição para o empréstimo?

portabilidade-de-emprestimo-como-escolher-a-nova-instituicao

Para usufruir de todos os benefícios da portabilidade de empréstimo, você precisa fazer um estudo da sua vida financeira, além de pesquisar quais instituições oferecem as melhores condições para a operação.

Mesmo que a portabilidade seja um procedimento gratuito, é importante dedicar um bom tempo comparando ofertas, a fim de selecionar aquela que seja mais vantajosa para sua realidade. Veja como fazer isso a seguir.

Compare juros

Escolher o melhor banco ou cooperativa financeira para portabilidade de crédito requer verificar as taxas de juros praticadas. Conforme dissemos mais acima, a portabilidade só é benéfica quando a nova instituição apresenta encargos mais baratos.

Com taxas menores, as mensalidades do crédito também serão reduzidas, aumentando sua margem financiável. Entretanto, é sempre importante avaliar o CET das transações, pois só assim é possível entender qual a melhor opção. 

Veja as condições de pagamento

Outro fator relacionado com a dica acima são as condições de pagamento. Você já entendeu que o instituto da portabilidade é reduzir o impacto do empréstimo no seu orçamento pessoal. 

Sendo assim, essa operação só fará sentido se a nova instituição financeira oferecer condições de pagamento realmente vantajosas. 

Para analisar as propostas, pode fazer uma simulação de crédito em diversos bancos e cooperativas financeiras. 

Em seguida, compare os juros, o CET e outros encargos. Sabemos que essa etapa é um pouco trabalhosa, mas é essencial para encontrar a melhor oferta.

Analise o suporte de atendimento

Mais um fator que você deve considerar antes de pedir a portabilidade é o atendimento. Caso sua instituição atual não ofereça um bom suporte ao cliente, talvez seja necessário considerar a transferência da dívida para um banco ou cooperativa melhor avaliado.

Conheça as nossas soluções de crédito que cooperam com as pessoas, seus sonhos e negócios.

O que significam os termos da portabilidade?

portabilidade-de-emprestimo-termos

Depois de aprender tudo sobre o funcionamento da portabilidade de empréstimo, você já sabe como pesquisar as melhores condições para substituir seu crédito atual. 

Nesse processo, com certeza deve ter se deparado com alguns termos não muito usados no dia a dia. Nesse sentido, resolvemos listar os principais, para que você ganhe familiaridade e possa compreender melhor as etapas da transferência. 

  • Banco credor: instituição na qual você possui o empréstimo atualmente;
  • Parcela atual: quantidade de parcelas que ainda precisa pagar em seu empréstimo atual;
  • Taxa de juros prevista: valor calculado pelo sistema da nova instituição, baseado nas taxas de juros atualizadas para o novo contrato;
  • Saldo devedor previsto: cálculo aproximado com base no empréstimo atual, a fim de chegar ao valor da quitação do empréstimo;
  • Saldo devedor: quantia exata informada pelo banco credor, da quitação do empréstimo;
  • Novo banco: trata-se da nova instituição financeira escolhida para fazer a portabilidade de crédito;
  • Nova parcela: valor da nova parcela do seu empréstimo, determinada pela nova instituição financeira;
  • Novo prazo: prazo atualizado da duração do novo contrato de empréstimo;
  • Nova taxa de juros: valores referentes às novas taxas de juros do seu empréstimo atualizado;
  • Valor do novo empréstimo: trata-se do novo valor total do empréstimo, após a portabilidade;
  • Troco previsto: representa a diferença entre o valor do empréstimo e o valor do saldo devedor previsto;
  • Troco efetivo: indica a diferença entre o valor do novo empréstimo e o saldo devedor informado pelo banco credor, após o processo da CIP;
  • CIP: sigla para Câmara Intercambiária de Pagamentos. É a instituição que controla o sistema responsável pelas portabilidades de crédito;
  • Saldo divergente: aparece quando há uma diferença entre o saldo devedor previsto calculado pela nova instituição e o saldo devedor informado pelo banco credor, referente ao empréstimo atual;
  • Retenção: trata-se da informação de que seu banco credor confirma a renegociação do seu empréstimo atual;
  • Contrato divergente: indica que o número do contrato enviado para a portabilidade não foi encontrado pelo banco credor;
  • Contrato liquidado: informa que o banco credor entende que o empréstimo atual já foi renegociado ou liquidado;
  • Averbação: trata-se do procedimento de envio do pedido de portabilidade para a autorização de empréstimo pelo órgão pagador;
  • Portabilidade: operação de troca do empréstimo atual no banco credor para o novo banco;
  • Refinanciamento da portabilidade: após a portabilidade, o novo empréstimo assume as condições simuladas no novo banco.

Conclusão

Agora que você já compreende como funciona a portabilidade de empréstimo, sabe que ela pode ser a solução para organizar sua vida financeira. Trocar uma dívida alta por outra com melhores condições de pagamento pode te ajudar a tocar projetos pessoais. 

Para fazer uma portabilidade bem sucedida e vantajosa, siga as dicas que te mostramos por aqui e pesquise bem as ofertas dos novos bancos ou cooperativas financeiras. 

Receba nossa newsletter

Inscreva-se

O Internet Explorer está sendo descontinuado.
Por favor, use outro navegador para acessar o blog. Veja alguns navegadores que você pode utilizar: