• 8 de agosto de 2022
  • 11 minutos

Investimento em Renda Fixa: o que é, vantagens e qual melhor

11 minutos
investimento-em-renda-fixa
investimento-em-renda-fixa

O investimento em renda fixa tem ganhado forma e gosto no vocabulário do brasileiro. 

Entre 2020 e 2021, registrou-se um aumento de 26% no número de investidores dessa modalidade. Agora, são 10,1 milhões de CPFs inscritos em aplicações de renda fixa.

Isso mostra que mais pessoas já sabem o que é investimento em renda fixa e já se deram conta dos seus benefícios. Sempre, claro, levando em conta seu perfil de investidor.

Mas queremos ajudar também quem ainda não sabe o que são investimentos em renda fixa. Por isso, este post é um convite para quem tem pouca familiaridade com o assunto — e um reforço para quem já está de olho nas suas aplicações periodicamente.

Confira!

Conheça o Sistema Ailos e invista em economia colaborativa por meio do cooperativismo!

O que é renda fixa?

O investidor brasileiro tem ficado mais jovem. Isso mostra que a popular poupança deixou de ser a alternativa para quem deseja poupar, e que mais pessoas estão preocupadas com educação financeira e com o futuro.

Daí, a importância em falar sobre como funciona o fundo de investimento em renda fixa.

E, para isso, vale entender o que é a modalidade, em primeiro lugar. Títulos de renda fixa são papéis que comprovam um empréstimo do seu dinheiro (o valor investido, no caso) a um emissor. 

Esse emissor pode ser uma instituição financeira, uma empresa ou o próprio governo. Como retorno, você recebe a remuneração desse empréstimo por meio de juros e/ou correção monetária dentro de um prazo específico.

Assim, após finalizado o período determinado no seu investimento em renda fixa, você recebe o seu investimento somado a esses juros ou correções acima mencionados.

Quais os tipos de renda fixa?

Existem dois tipos principais, dentro dessa modalidade, que facilitam a compreensão sobre qual é o melhor investimento em renda fixa conforme seus objetivos. Vamos a eles!

Prefixada

Quando dizem que o investimento de renda fixa tem baixo risco, significa que existe boa previsibilidade dos rendimentos. E, também, que o seu dinheiro está assegurado contra alguns imprevistos.

Falaremos disso adiante em detalhes. No momento, vale entender que a renda fixa prefixada apresenta essa previsibilidade ao investidor.

Por exemplo: para saber como contabilizar seu investimento em renda fixa que oferece juros de 8% ao ano, é só avaliar esse valor e somar ao total investido. Assim, R$ 1 mil acumularia ao total de R$ 1.080 em 12 meses.

Afinal, 8% ao ano de R$ 1 mil é R$ 80. No ano seguinte, contaríamos mais 8%, mas agora sobre os R$ 1.080. Portanto, após dois anos você teria R$ 1.166,40 investidos.

Não existem surpresas para o investidor nesses casos, então, já que o investimento em renda fixa prefixado mostra, antecipadamente, o montante final ao término do contrato.

Exceção feita, é claro, se a rentabilidade for inferior à inflação do mesmo período. Seguindo o exemplo acima, se a inflação dos últimos 12 meses foi de 10%, hipoteticamente, a rentabilidade de 8% foi basicamente corroída pela inflação.

Pós fixada

Já o investimento em renda fixa pós-fixado apresenta outros índices do mercado. O que também exige uma análise mais aprofundada sobre o cenário econômico do país.

Um desses indicadores é o CDI — sigla para Certificado de Depósito Interbancário. O outro é a taxa Selic. E, aí, você pode não saber o valor final a ser recebido, após o término do período estabelecido, mas você tem já fixada a forma de remuneração.

Você pode encontrar aplicações de renda fixa, portanto, que pagam 110% da taxa do CDI, por exemplo. Ou, usando a Selic como exemplo: 105% da taxa. Aí, vale a pena fazer uma análise porque o seu rendimento pode ser maior, gradativamente, caso exista a expectativa de aumento desses índices nos próximos meses.

o-que-e-investimento-em-renda-fixa

Quais os principais investimentos de renda fixa?

Se você já entende um pouco sobre o assunto e compreendeu o que abordamos até aqui, talvez falte entender qual renda fixa investir.

Acontece que essa é uma decisão particular. Você deve levar em consideração seus objetivos financeiros e avaliar as alternativas de acordo com o seu perfil e também por meio de uma análise do mercado.

Para isso, vale a pena entender quais são os tipos de investimentos de renda fixa. E isso, sim, pode ajudar a enriquecer as suas pesquisas, veja só!

1. CDBs

O Certificado de Depósito Bancário (ou apenas CDB) é um título emitido que autoriza você a emprestar o seu dinheiro aos bancos.

Ele é usado para que as instituições realizem suas operações financeiras (como a concessão de crédito para empréstimos ,financiamentos etc.) e devolvam ao investidos na forma de juros. 

E o CDB se apresenta como um investimento de renda fixa tanto prefixado quanto pós-fixado.

aplicacao-de-renda-fixa

2. Tesouro Direto

Por sua vez, o Tesouro Direto é um título do Tesouro Nacional. Nele, o governo pega dinheiro emprestado do investidor e devolve na forma juros (também podem ser pré ou pós-fixados com base nos índices mencionados anteriormente, como a Selic). 

3. Fundos de Renda Fixa

Fundos de renda fixa são formados por investidores que, aliados a uma gestora financeira, compõem uma carteira de ativos. Em seguida, são comercializadas algumas cotas dessa carteira, e a quantidade de cotas adquiridas corresponde ao rendimento individual.

No geral, essa é uma alternativa interessante para quem ainda não tem familiaridade com o investimento de renda fixa. Afinal, o grupo e a gestora já investiram nos produtos que eles acreditam que têm potencial de crescimento e retorno financeiro.

E o investidor que adquiriu as cotas pode só observar o que acontece com os valores investidos, mensalmente. 

4. LCI, LCA, CRI e CRA

Quem prefere “emprestar” o seu dinheiro a setores específicos da sociedade encontra boas opções nas Letras de Crédito e nos Certificados de Recebíveis Imobiliários.

Entenda o que são, abaixo:

  • LCI é a letra de crédito imobiliário, emitida pelos bancos para contribuir com alguma atividade do segmento de imóveis;
  • LCA é a letra de crédito do agronegócio, emitida para alguma atividade ligada ao agronegócio;
  • CRI é o Certificado de Recebível Imobiliário (CRI) tem a ver com securitização de atividades do setor. Pode servir tanto para o pagamento de parcelas de um financiamento quanto a quitação mensal de um aluguel;
  • CRA é o Certificado de Recebível do Agronegócio, que tem função similar, mas para o agronegócio.

Quais as vantagens de investir em renda fixa?

Embora as aplicações de renda fixa sejam seguras, elas também se valorizam menos com relação aos investimentos de renda variável, por exemplo.

E é justamente por conta dessas vantagens, como a previsibilidade de renda e outros aspectos que discutiremos a seguir.

É por isso que sabemos, por exemplo, quanto rende R$ 5.000 em renda fixa sem correr riscos. A previsibilidade e garantia de retorno financeiro tornam a modalidade mais conservadora.

Mesmo assim, em todos os cenários, rende mais do que investir na poupança ou, simplesmente, parado na conta corrente e achar que, com isso, você está poupando dinheiro.

tipos-de-investimentos-renda-fixa

Veja, então, quais são os benefícios de investir em renda fixa!

Previsibilidade

Como destacamos, você sabe, exatamente, ou tem noção aproximada do quanto sua aplicação de renda fixa vai gerar, de retorno, no ato do investimento.

Diversificação de carteira

Também mostramos que existem diferentes tipos de investimento de renda fixa. São dezenas de opções para você alinhar às suas preferências e ao seu perfil de investidor.

Rentabilidade

Destacamos, anteriormente, que a aplicação de renda fixa nem sempre é tão precisa, assim, em apontar a rentabilidade para o investidor.

Acontece que mesmo no investimento de renda fixa pós-fixado, você sabe a porcentagem de qual índice será fixa. Então, ao menos você entende qual é o rendimento por meio da variação desse indicador.

Segurança

Vale destacar que a maioria dos títulos de renda fixa (com algumas exceções) conta com um importante mecanismo de segurança, que é o FGC.

A sigla corresponde ao Fundo Garantidor de Crédito, um órgão que promete o retorno do seu dinheiro diante de um imprevisto. Por exemplo: a instituição financeira que tomou seu investimento emprestado faliu. Aí, o FGC entra em ação e assegura o limite de R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira. 

Ou seja: é mais recomendável que você não ultrapasse esse valor, para que a segurança do investimento em renda fixa permaneça válida. Pois qualquer quantia acima desse limite não tem a garantia de retorno do FGC.

Destaque para as aplicações de renda fixa que não possuem cobertura do FGC

  • CRI;
  • CRA;
  • debêntures;
  • fundos de renda fixa.

E as desvantagens?

Existem, também, pontos de atenção para quem ainda está pesquisando sobre o que são investimentos em renda fixa. Confira, abaixo!

Taxas e tributos

Grande parte dos títulos de renda fixa passa pela tributação do Imposto de Renda e também do IOF — o Imposto sobre Operações Financeiras.

Acontece que, embora não possuam garantia do FGC, as aplicações de renda fixa mencionadas logo acima não são tributadas (embora alguns fundos de renda fixa sejam).

O IR costuma ser cobrado em sua faixa de alíquota máxima caso o investidor resgate a aplicação em até 180 dias. Mas a alíquota cai de 22,5% para 15% se você resgatar o investimento após 721 dias.

O IOF, por sua vez, é cobrado em até 96% do rendimento se você resgatar o investimento nos primeiros 30 dias de aplicação. E deixa de ser praticado após esse período.

Carência

Vale analisar, também, a carência de alguns investimentos de renda fixa, o que inviabiliza a recuperação rápida do dinheiro, caso necessite.

Risco de resgate 

Avalie, sempre, o risco de resgate das suas aplicações. Por mais que seja relativamente seguro, todo tipo de investimento de renda fixa carrega riscos. Especialmente, nos casos de debêntures, CRI e CRA — pois não contam com a garantia do FGC.

O mercado deve ser estudado com calma e estratégia para que os rendimentos se tornem aliados da sua educação financeira. E, assim, seu investimento em renda fixa gere, continuamente, resultados positivos para aumentar o seu patrimônio.

Conheça o Sistema Ailos e invista em economia colaborativa por meio do cooperativismo!

o-que-sao-investimentos-em-renda-fixa

Perguntas Frequentes sobre como começar a investir

Como funciona o fundo de investimento em renda fixa?

Fundos de investimento em renda fixa são geridos por uma administradora que fraciona o valor total do patrimônio em cotas. Em seguida, elas são vendidas para investidores interessados, que vão analisar o fundo planejado por essa administradora.

No geral, o fundo conta com diferentes tipos de investimentos na carteira. Assim, quem acabou de começar a investir pode ter uma análise mais facilitada de como essas opções valorizam e desvalorizam periodicamente. E, assim, adquirir mais confiança para assumir, por conta própria, outros investimentos no mercado.

Qual é o melhor investimento em renda fixa em 2022?

Vale mencionar que não existe o melhor investimento em renda fixa em 2022 ou em nenhum outro ano. O que existe é um produto financeiro mais alinhado ao seu perfil e objetivos.

Mas é claro que, por meio de análises constantes do mercado, você identifica possíveis oportunidades interessantes de investimento. 

Um exemplo: em 2021 e em 2022, a inflação tem disparado. E isso também eleva a taxa Selicum índice valiosíssimo para os investimentos de renda fixa, como vimos.

Como resultado, o rendimento de opções no mercado associados à taxa Selic também é maior. Dessa maneira, vale ficar de olho no cenário econômico e em como as opções de investimento em renda fixa reagem a ele. Alguns exemplos de produtos dessa modalidade para ficar de olho:

  • Tesouro Selic;
  • Tesouro IPCA;
  • LCI e LCA;
  • debêntures.

É seguro investir em renda fixa?

Talvez, o correto seja dizer que é seguro investir em renda fixa quando comparamos, principalmente, com investimento em renda variável (ações, fundos imobiliários etc.).

Pois, como dissemos, todo investimento carrega um certo risco. O que diferencia a sua gravidade é a maneira como o investidor se prepara para o mercado financeiro.

Por exemplo: de nada adianta investir em um CDI de longo prazo se você não se preveniu contra imprevistos e decide resgatar todo o valor em menos de 30 dias.

Como vimos, isso acarreta taxas e tributos que podem corroer o seu patrimônio. Ou, ainda, considerar opções de investimento em renda fixa sem a garantia do FGC e ver a instituição falir, deixando você sem um tostão.

Então, é necessário destacar que o investimento em renda fixa é seguro se comparado com renda variável, principalmente. E que os riscos diminuem gradativamente à medida que você se prepara mais e mais para destinar o seu dinheiro em modalidades do mercado.

Conclusão

Neste post, falamos o que é o investimento em renda fixa e quais são os tipos de aplicações e as vantagens (e cuidados) ao investir.

São produtos, no geral, que agregam rendimentos estáveis e com boa previsibilidade do resultado final. Mas que, como qualquer investimento, boa dose de conhecimento e planejamento do mercado financeiro são necessários. 

Muita atenção, portanto, e desfrute apenas dos melhores motivos (e benefícios) de colocar o seu dinheiro em investimento de renda fixa!

Receba nossa newsletter

Inscreva-se

O Internet Explorer está sendo descontinuado.
Por favor, use outro navegador para acessar o blog. Veja alguns navegadores que você pode utilizar: