• 27 de outubro de 2022
  • 11 minutos

Investimentos conservadores: entenda quais são

11 minutos

Antes de iniciar os investimentos, é muito importante que o investidor conheça o seu perfil de investidor. 

Afinal, essa informação será muito importante para determinar o nível de risco que você estará disposto a correr. 

Além disso, sabendo disso, você também conseguirá escolher os melhores investimentos para a sua carteira.

Existem diversas classificações de investidores, dentre elas está o “conservador” — pessoa que não está disposta a correr grandes riscos.  

Por isso, quem está nessa classificação, deve estar muito atento com as características do portfólio, para assim, entender a sua tolerância de risco. 

Para auxiliar os investidores que se encaixam nesse perfil, separamos os investimentos que são considerados conservadores e não promovem tanto risco ao seu patrimônio.

Se você quiser investir com mais segurança, você pode contar com a Cooperativa Ailos. Aqui, você possui uma reserva de emergência 100% digital e consegue fazer o valor render. 

Perfil de investidor conservador

O perfil conservador é aquele investidor com baixo apetite por risco, ou seja, ele não investe seu lucro em papéis com alta volatilidade. 

Portanto, se você se encaixa nessa classificação, é um sinal que você prefere mais segurança na hora de investir. 

Para você entender melhor como funciona o perfil conservador, é válido dar uma olhada no “tripé de investimentos”, formado por segurança, liquidez e rentabilidade.

  • Segurança: esse é um dos pontos mais importantes para um investidor conservador. Por conta de uma baixa tolerância ao risco, essas pessoas procuram por investimentos que ofereçam mais segurança e baixa volatilidade. 
  • Liquidez: esse fator não pode faltar para um investidor conservador. Os investimentos que apresentam alta liquidez podem ser resgatados em menos tempo, diminuindo os riscos. 
  • Rentabilidade: esse ponto é considerado uma desvantagem em investimentos conservadores. Isso porque, em investimentos mais seguros, a rentabilidade tende a ser menor. 

Saiba quais são os investimentos para perfis conservadores 

O perfil conservador é muito utilizado por investidores que são “calouros” no mundo das ações. Isso porque ele promove mais segurança e conforto na hora do investimento. 

No entanto, é muito importante saber se realmente seu perfil se encaixa na categoria conservadora. Assim, será mais fácil de compor um portfólio conservador e atender às suas necessidades de segurança e de liquidez. 

Em geral, os investidores conservadores preferem investir em renda fixa. Afinal, essa é uma classe formada por investimentos que possuem condições determinadas de retorno. Deste modo, é possível ter mais previsibilidade sobre os ganhos. 

Para você, que tem o perfil mais conservador, trouxemos os investimentos voltados para essa classificação. Confira abaixo. 

Tesouro direto 

O Tesouro Direto, ao longo dos anos, foi considerado uma das aplicações de renda fixa mais atrativas do Brasil. 

O título não é em vão, já que em meio às crises econômicas, lá estava ele, firme e continuamente rentável para o bolso do investidor. 

Ele é um ativo cheio de benefícios, de fato, tanto para aqueles que precisam de resultados a curto prazo, quanto para os perfis mais conservadores. 

O Tesouro Direto é um programa desenvolvido pelo governo federal que estabelece a venda de títulos da dívida pública como uma maneira de arrecadar lucro para financiar suas operações.

Poupança 

Essa opção é a mais conhecida entre os brasileiros, tanto que é a primeira escolhida quando o cidadão quer guardar dinheiro. 

Ele é muito escolhido, pois o usuário tem mais autonomia sobre seu lucro. No entanto, comparado a outros, ele não é tão rentável assim. 

Para alguns, isso não chega a ser um problema. No entanto, antes de colocar o dinheiro na poupança, é necessário estudar um pouco mais a fundo sobre a modalidade de investimento. 

Em geral, o brasileiro gosta muito da poupança por conta da simplicidade para efetuar o investimento. Basta realizar um depósito em qualquer banco e esperar a liquidez diária. 

Dependendo da conta dos usuários, alguns bancos podem oferecer mais benefícios para o investimento na poupança

CDI

Entre as diversas siglas que o mercado financeiro tem, com certeza, a CDI (Certificado de Depósito Interbancário) é a mais famosa delas. 

Ela é uma referência muito importante para aqueles que aplicam em renda fixa e optam por investimentos conservadores. 

O CDI é um título de curto prazo emitido pelas instituições financeiras. De alguma forma, ele se assemelha ao CDB. Isso porque ele também é utilizado pelos bancos para adquirir recursos. 

No entanto, existe uma diferença crucial entre eles: o certificado interbancário não é oferecido diretamente aos investidores individuais. 

Como já diz o nome, ele serve para que as instituições financeiras emprestem e recolham os lucros entre si de um dia para o outro. Isso porque o CDI tem um prazo de vencimento de um dia útil. 

LCI E LCA 

Entre os melhores investimentos conservadores, podemos citar o Crédito Imobiliário (LCI) e o Agronegócio (LCA). 

Considerados títulos privados, eles são emitidos por instituições financeiras, mas se diferem por serem de diferentes segmentos. 

Igualmente CDBs — que logo entrará em pauta —, o LCI e LCA possuem rentabilidade pré fixada, pós-fixada e híbrida. 

No entanto, a LCI e a LCA são diferentes quando o assunto é liquidez, sendo normalmente baixa. Por isso, é importante o investidor saber se poderá manter o seu investimento aplicado até o vencimento ou período de carência. 

CDB

Como dito anteriormente, um dos investimentos conservadores mais escolhidos por pessoas dessa categoria é a renda fixa. 

Além dos títulos públicos, a renda fixa possui uma variedade de opções de investimentos privados. Dentre elas, está o certificado de depósito bancário (CDB). 

Como alguns investimentos conservadores já citados, o CDB é um título emitido por instituições financeiras que desejam captar recursos para suas atividades, como a oferta de empréstimos. 

A rentabilidade dos CDBs podem ser divididas em três categorias, sendo elas: 

  • Prefixado: rende conforme a taxa fixa, definida antes da aplicação; 
  • Pós-fixado: possui um retorno ligado a um indicador financeiro. Em títulos privados de renda fixa, é normal que o CDI seja usado;
  • Híbrido: tem um rendimento composto por uma taxa fixa mais a variação de um indicador, como o IPCA

Em relação à segurança deste investimento, embora não possuam o risco soberano dos títulos públicos, os CDBs são assegurados pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). 

Além disso, existem CDBs com liquidez diária, enquanto outros têm um prazo mínimo para recuperação. Igualmente aos títulos públicos, o CDB é tributado pela tabela regressiva de IR. 

Investimentos Internacionais para perfis conservadores 

lO perfil conservador é muito preocupado com a volatilidade da economia, por isso, alguns deles até preferem investir fora do país. 

Essa é uma alternativa para expandir os rendimentos do investidor conservador, apesar de ser um pouco mais complexa do que a aplicação nacional.

Por isso, para facilitar o investimento do exterior, é importante a solicitação do auxílio de uma empresa especializada — para auxiliar no processo. 

Conheça alguns investimentos do exterior voltados para perfis conservadores: 

  • ETFs: os Exchange Traded Funds são fundos de índices estrangeiros. Eles podem ser negociados na Bolsa de Valores como um papel tradicional, com a diferença que cada cota comprada é equivalente a uma carteira de títulos. 
  • Fundos de investimentos: essa opção é famosa entre os investimentos conservadores, pois para realizar a aplicação, não é necessário enviar o dinheiro para o exterior. O investidor pode aplicar diretamente do Brasil, de maneira semelhante a outros fundos de investimentos. 
  • BDR: Os Brazilian Depositary Receipts são uma forma de adquirir títulos representativos de ações da Bolsa de Valores estadunidenses. No entanto, elas podem ser negociadas diretamente no pregão da B3. Sua vantagem é a economia e a comodidade para os investidores, que conseguem ter seus ativos internacionais negociados diretamente na bolsa brasileira. 

Riscos de Investimentos 

Em geral, o risco principal dos investimentos é o potencial de perdas. No entanto, existem diferentes tipos de riscos nos investimentos conservadores. 

Portanto, o que pode ser mais prejudicial para um investidor, não pode ser para outro. Então, os riscos podem variar conforme as prioridades de cada usuário. 

Porém, em um contexto geral, existem os riscos mais comuns que todo o investidor pode enfrentar, seja ele conservador ou não. Confira abaixo. 

Mercado

Quando falamos sobre risco de investimentos, na maioria das vezes, estamos nos referindo à probabilidade das aplicações não renderem como esperado. 

Em suma, essa situação é chamada de “risco de mercado”. Essa situação está atrelada à volatilidade da cotação do mercado, preço ou rendimento de um ativo ao longo do tempo. 

Por exemplo, imagine que um investidor compra títulos do Tesouro Selic esperando que as taxas de juros iriam subir nos próximos anos. No entanto, não foi o que aconteceu. 

A Selic caiu e o investidor não obteve a rentabilidade esperada, por isso, acabou sofrendo com o risco de mercado. 

Ou seja, o risco de mercado acontece quando um investidor não consegue adquirir os resultados que esperava com a sua aplicação na bolsa. 

Liquidez

Esse risco de liquidez acontece quando o investidor tem dificuldade de capitalizar (resgatar) o seu dinheiro quando necessário.

O melhor exemplo para detalhar a baixa liquidez é a venda de um imóvel, cujo acordo de compra pode demorar anos para ser consolidado.

Para diminuir este risco, é necessário alavancar o percentual de investimentos de alta liquidez em carteira, caso o interesse do investidor esteja no curto ou médio prazo. 

Ou então, o investidor pode optar por investimentos de longo prazo, com mais tempo para o resgate do capital. 

Crédito 

O risco de crédito acontece quando uma instituição de investimentos não devolve o capital como mencionado previamente. 

Essa situação, por exemplo, acontece quando uma empresa não honra com os pagamentos de debêntures, ou um quando uma instituição financeira vai à falência e não permite o resgate dos saldos em caderneta de poupança. 

Vantagens de investimentos conservadores 

Os investimentos conservadores já são, por si só, benefícios ao perfil de investidor conservador. Isso porque esse tipo de usuário sempre prefere a segurança do seu patrimônio acima da rentabilidade. 

No entanto, quando o investidor consegue equilibrar segurança e rentabilidade, é melhor ainda. Por isso, existem alguns investimentos conservadores que promovem os dois benefícios. 

Uma das principais vantagens dos investimentos conservadores é que tanto investidores iniciantes quanto os mais antigos, podem aplicar em papéis da categoria. 

Segurança 

Diferentemente de outros tipos de papéis, os investimentos conservadores chamam atenção de investidores devido à sua segurança. 

Aplicando em ativos conservadores, o investidor terá a certeza que o seu capital estará seguro e poderá ser resgatado quando necessário. 

No entanto, isso dependerá do tipo de investimento que o usuário optar. Mas, da mesma forma, os investimentos conservadores promovem mais segurança. 

Rentabilidade garantida 

Alguns investimentos conservadores já estão livres da volatilidade do mercado, por isso, são muito escolhidos por este perfil, como a Renda Fixa

Diferente de outros tipos de investimentos, o conservador possui uma rentabilidade garantida. Esse é um benefício que só o perfil conservador pode desfrutar. 

Isso porque, com a rentabilidade garantida, o investidor não precisará se preocupar com a volatilidade do mercado, já que a rentabilidade já é quase pré-estabelecida. 

Como escolher um bom investimento e começar a investir? 

Primeiramente, para começar a investir, é necessário que você conheça seus limites. Para isso, você deve saber qual é o seu tipo de perfil de investidor, como conservador, moderado ou arrojado. 

Definindo o seu perfil, você conseguirá saber seus limites de investimento. Após isso, deve fazer um planejamento financeiro para saber o quanto você está disposto a investir na Bolsa de Valores.

Aprender sobre o mercado financeiro também é crucial para você desenvolver estratégias para alavancar seus resultados e também saber por onde começar. 

Caso você se sinta inseguro de investir sozinho, você pode optar por uma corretora para investir. Empresas como essa dão todo o apoio necessário na hora do investimento, tanto para investidores iniciantes quanto para os mais antigos. 

Com o apoio de uma corretora ou sozinho, agora, você deve escolher onde você investirá o seu dinheiro. Existem diversas possibilidades, por isso, você deve saber bem quais são os seus objetivos e o que você conseguirá com os seus investimentos. 

Se você precisar de apoio nessa grande jornada que está por vir, você pode contar com a Cooperativa Ailos. 

Aqui, nós oferecemos todo o apoio necessário para você fazer o seu dinheiro ter rentabilidade! Venha conhecer nossas soluções financeiras.

Conclusão 

Se você está começando agora a investir o seu dinheiro, os investimentos conservadores podem ser uma opção ideal para o seu bolso. 

Escolhendo os investimentos conservadores certos, você tem mais segurança e ainda uma rentabilidade garantida. 

No entanto, para que todo o processo ocorra da melhor maneira possível, você precisa estudar o mercado financeiro a fundo e escolher o investimento certo para o seu perfil. 

Desta maneira, você consegue fazer com que o seu dinheiro trabalhe para você e ainda promove um alavancamento significativo no seu patrimônio. 

Receba nossa newsletter

Inscreva-se

O Internet Explorer está sendo descontinuado.
Por favor, use outro navegador para acessar o blog. Veja alguns navegadores que você pode utilizar: